Homepage
RSS
Twitter

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Busca

PM prende quadrilha especializada em assalto a bancos

04/03/2015 • 15:12



Policiais militares de Timon prenderam agora pouco uma quadrilha composta por três homens especializada em assaltos a bancos e explosão de caixas eletrônicos. Junto com a quadrilha foram apreendidos armamento pesado de grosso calibre e 50 mil reais, fruto de roubos.

A prisão da quadrilha foi possível graças ao serviço de inteligência da PM que vinha monitorando os passos da quadrilha, que nesse momento está sendo ouvida na Delegacia da Central de Flagrantes de Timon. (Mais infomrações dentro de instantes).



Neto Peças cobra do município assistência aos viciados

O vereador Neto Peças pediu hoje (04) que a Prefeitura de Timon tome providências para retirar do canteiro da rotatória localizada no cruzamento da rua 70 com a avenida Três um grupo de pessoas que ficam dia e noite fazendo churrasco e consumindo bebidas alcoólicas no local. Ele quer um tratamento para os viciados que ficam no local, com o retorno deles ao seio familiar

Segundo ele, já aconteceram acidentes no local, mas as pessoas insistem em permanecer no canteiro arriscando a vida. “Recentemente um motociclista invadiu a área e deixou uma pessoa ferida. Existe o sério risco de que, a qualquer momento, um motorista faça uma manobra descuidada e também invada o local, podendo atropelar várias pessoas”, disse ele.

Em aparte, o vereador Goleiro Branco confirmou o acidente com a moto e disse que outros acidentes já haviam acontecido. “Ali está uma tragédia anunciada. É preciso que sejam tomadas as providências”, afirmou.

O vereador Juarez Morais informou que o local está devidamente sinalizado e que as pessoas não obedecem a legislação por falta de conhecimento, por desrespeito ou mesmo por irresponsabilidade. “A obrigação da prefeitura é sinalizar e isso foi feito. Todas as ruas asfaltadas na cidade devem ser sinalizadas até o final do ano”, afirmou.



Ruas do Novo Tempo serão reformadas dentro de 120 dias

Uma comitiva de vereadores liderados pelo presidente da Câmara Municipal Uilma Resende esteve no Residencial Novo Tempo para verificar in loco a situação da pavimentação das ruas daquele local, atendendo reclamações da Associação de Moradores. A visita foi acompanhada por representantes da empresa Canoplas, responsável pela construção do conjunto.

Antes da visita o responsável pela construtora esteve na Câmara Municipal e se comprometeu com os vereadores a reformar a pavimentação das ruas, que estão esburacadas e sem canaletas para o escoamento das águas dos esgotos e das chuvas. Na visita ele acompanhou os vereadores e confirmou o início imediato das obras, com prazo de 120 dias para a sua conclusão.

Agora os serviços devem ser iniciados atendendo aos pedidos da Associação de Moradores, de lideranças locais e dos vereadores. No contrato para a construção do conjunto a empresa se comprometeu a providenciar qualquer reparo estrutural no prazo de cinco anos.

Na sessão de hoje (04) foi aprovado um requerimento assinado por todos os 19 vereadores pedindo que a Prefeitura de Timon providencie o calçamento da rua 12 do Novo Tempo, uma via pública das mais importantes, mas que ainda não está pavimentada.



Vereador quer parque de lazer na avenida Piauí

O vereador Tales Waquim apresentou hoje (04) a proposta da construção de um parque de lazer no prolongamento da avenida Piauí, com pista de ciclismo e pedestre, academia popular e quadra de esportes, nos moldes do Parque Poticabana, em Teresina, ou da avenida Litorânea,em São Luís. A proposta teve uma emenda do vereador José Carlos Assunção prevendo a participação da iniciativa privada no empreendimento, nos moldes de uma Parceria Público Privada.

Tales Waquin sustenta que Timon já merece uma área de lazer que possa reunir as famílias, propiciar a prática de esportes aos mais jovens e de exercícios físicos para todas as idades, elevando a auto estima dos timonenses e propiciando lazer a baixo custo para toda a comunidade. A proposta recebeu o apoio de todos os vereadores presentes.

Parque ambiental

O vereador Juarez Morais argumentou que em um loteamento que está sendo feito no prolongamento da avenida Piauí ligando a via pública ao bairro Cajueiro existe a previsão da construção de um parque ambiental com quadra esportiva, mas Tales afirmou que a sua proposta é bem maior enquanto a do loteamento será mais direcionada aos moradores do local. "A nossa proposta é para toda a comunidade", afirmou.

Parceria pública privada

O vereador José Carlos Assunção, ao defender a sua emenda prevendo a Parceria Pública Privada, disse que em Brasília foi feito um parque nestas condições. O poder público cede a área e a empresa interessada constrói o local e coloca os equipamentos. O seu ressarcimento se dará através da exploração comercial da área e da possível cobrança de ingressos em eventos. (ASCOM\Câmara).

Comentários

Prefeito quer gastar 10 milhões tapando buracos. Thales quer saber aonde?

03/03/2015 • 18:59


O prefeito Luciano Leitoa autorizou a realização de gastos de valor de 5 milhões 204 mil reais para mais uma operação tapa buracos na cidade de Timon este ano. No ano passado, o prefeito autorizou 3 milhões e 800 mil com o mesmo objetivo de tapar os buracos da cidade. O vereador Thales Waquim (PMDB), solicitou da Secretaria de Obras o projeto executivo da operação no ano passado, o mesmo pedido foi feito à Comissão de Obras da Câmara. Nenhum dos pedidos foi atendido.

Ontem, em seu pronunciamento representando a bancada da oposição, Thales Waquim voltou a cobrar, além da planilha e do projeto executivo, o vereador oposicionista quer mais informações para que não pairem nenhuma dúvida quanto as duas operações, a primeira já executado no ano passado e a segunda autorizada para execução neste ano.

Thales disse que na oportunidade da solicitação para realização da operação tapa buracos foi diagnosticado pelo próprio governo a necessidade de investimento no valor de quase 4 milhões, estranhamente, o governo quer gastar mais de 5 milhões com nova operação sem que os vereadores tenham informações de sua necessidade, ou se a primeira operação foi concluída ou não de forma satisfatória.

O vereador disse ao blogdoribinha que o montante de recursos próprios investidos somente para tapar buracos na cidade é muito vultoso e não deve ser desprezado ou deixado de lado como quer o governo municipal. “Nós estamos investindo quase dez milhões de reais em lugares que até agora não sabemos, por isso a necessidade de explicações e informações do governo Luciano Leitoa”, salientou Thales.



REQUERIMENTO APRESENTADO PELO VEREADOR EM 2014 CONTINUA SEM RESPOSTA DO EXECUTIVO

Comentários

leila mara

postado:
04/03/2015 - 14:21
Vereador, vá se informar! O valor é para todo o ano de 2015!

SILVINO RESENDE

MEGAPREPARATORIO@HOTMAIL.COM postado:
04/03/2015 - 09:09
DEVE SER PARA TAPAR OS BURACOS DA LUA TAMBÉM.DEIXA O HOMEM TRABALHAR.

a verdade

postado:
04/03/2015 - 08:14
parabéns vereador Thales até que fim vc está assumindo uma postura de oposição!

paulo

postado:
03/03/2015 - 20:45
não sei se é muito buraco ou muito dinheiro

Vereadores da base do prefeito disparam artilharia pesada contra Alexandre

03/03/2015 • 11:04



Pelo menos cinco vereadores da base de sustentação de Luciano Leitoa na Câmara e um vereador se m definição partidária – "hora" na oposição e "hora" na situação -, apontaram a artilharia pesada contra o deputado estadual Alexandre Almeida (PTN)  por conta de suas críticas e posicionamentos contra a venda do SAAE de Timon e o valor do “negócio bilionário” em torno de 1 bilhão e 500 milhões de reais.

Capitaneados pelo vereador José Carlos Assunção (PP), que afirmou ter sido Alexandre Almeida o maior empecilho para a ex-prefeita Socorro Waquim manter um diálogo de entendimento e conseguir liberação de recursos para a gestão da Professora.

Zé Carlos cobrou uma atuação do deputado Alexandre Almeida, que na sua visão política até hoje não apresentou nenhum benefício concreto para o município de Timon.



Compra de votos

O vereador Kenedy Gedeon foi mais longe. Ele afirmou com todas as e letras que o deputado conseguiu em seus mandatos eletivos por conta da compra de votos através de suas emendas parlamentares que são sempre destinadas para entidades ligadas umbilicalmente e politicamente ao deputado.

"Parente não se escolhe"

Instado pelo vereador Kenedy para se pronunciar sobre a atuação de seu primo Alexandre Almeida na política, o vereador Juarez Morais, disse que “parente não se escolhe. Ele não é digno do meu voto e do meu apoio. Nunca votei nele”, afirmou Juarez.

Presidente aparteia. E Pode?

Até o presidente Uilma Resende, que tem função de intermediar os trabalhos da casa, entrou na onda da metralhadora giratória, mas sua fala não soou com a força que deveria, pois como presidente Uilma não pode ficar aparteando vereadores em seus discursos para fazer críticas sua posição tem que ser de “magistrado”.



Calado estava. Calado ficou

O mais estranho nesse bombardeio contra o deputado Alexandre Almeida foi o posicionamento de seu único representante na Casa. Apesar de ser instado pelos demais para fazer a defesa de Alexandre Almeida, Doutor Torquato não pronunciou uma palavra sequer.

Votação unânime

Todos os vereadores que desancaram críticas à fala de Alexandre Almeida na Assembleia votaram a favor da venda do SAAE.
Assessoria do deputado vai se pronunciar

Em conversa com a assessoria do deputado Alexandre Almeida fomos informados que o deputado irá se pronunciar sobre os ataques dos veradores.



Bombardeio amigo


O vereador Leandro Bello anunciou a vinda de novas obras para Timon, dessa vez com emendas do deputado federal José Carlos da Caixa. Ele afirmou que Timon ganhará um Centro de Terapia para os pacientes renais e outra emenda para a construção de equipamentos comunitários, que ainda não foram definidos.

Provocado para responder sobre a situação de emendas parlamentares do ex-deputado Gastão Vieira que foram destinadas a Timon em 2013, o vereador foi categórico em afirmar que o dinheiro está na Caixa desde sua liberação, mas ainda falta alguns problemas de ordem burocrática para a liberação das licitações das obras de construção a praça do Higino Cunha, quadra de esportes e portais de entrada da cidade, algo em torno de 2 milhões de investimentos que estão empancados por pura falta de competência do governo Luciano Leitoa.



Líder é bombardeado

O líder do governo não Câmara não pode mais fazer cara de ingênuo e que não sabe que está sendo bombardeado na casa. É um processo como “fogo de montoro” que come por baixo. Ao afirmar que através de uma pessoa contratada de nome “Cinthia” para cuidar das emendas parlamentares em questão, o que está faltando para as obras serem licitadas, segundo Raimundo Novaterra são certidões de aptidões da Cemar. Raimundo quase foi trucidado. Os vereadores não entenderam como essas certidões estão demorando mais de um ano e meio para chegar ao processo de liberação do projeto.



Calando a voz da oposição

Os vereadores oposicionistas já detectaram que quando eles usam a tribuna “forças ocultas” invadem o sistema de som e a transmissão da Voz da Câmara. Ontem, após seu pronunciamento, o vereador Francisco Torres (DEM), foi informado que sua fala não estava sendo transmitida pela rádio e que o som estava muito ruim. A confirmação de que a fala de Torres não estava sendo transmitida foi constatada pelo próprio técnico responsável pela transmissão que disse que o som estava sendo cortado da mesa.

Requerimento em favor de Chico Leitoa

O presidente da Câmara acatou requerimento verbal do vereador Francisco Torres para que seu pronunciamento fosse gravado e enviado ao ex-prefeito Chico Leitoa, que mandou advogado intimidar radialista querendo um gravação em que Torres faz severas críticas ao ex-prefeito, que segundo Torres é condenado por desvio de recursos e irregularidades cometidas em suas gestões desastrosas.



Homenagem do legislativo

Por sua atuação como deputada estadual, a Professora Socorro Waquim participará amanhã, às 11hs, na Assembleia Legislativa do Maranhão de homenagem da Casa Legislativa pelos 180 anos de atuação. O convite foi feito diretamente pelo presidente da Casa Humberto Coutinho. Socorro Waquim exerceu o mandato de deputado em 2003 e 2004, quando foi eleita prefeita de Timon e renunciou ao mandato.

Entre as grandes ações parlamentares de Socorro Waquim estão as instalações da UEMA em Timon, do Instituto de Criminalística entre outras obras físicas e sociais.



Cadê o relatório

O vereador Tua está há mais de dois meses aguardando por um relatório da situação da saúde de Timon que deveria ter sido encaminhado pelo relator da Comissão de Saúde da Câmara. Tua tem sido alertado que o relatório não será enviado por conta da temeridade em represálias do governo contra o relator.

Tuá é o novo presidente da Comissão e quer fazer dela mais participativa como a programação de visitas ao sistema de saúde do município com a presença de líderes comunitários e da imprensa.




Destino de Richard França

Até agora não está definido o destino do presidente do SAAE Richard França. Engenheiro do quadro efetivo do DENIT, Richard demorou assumir o cargo municipal por conta da liberação do seu órgão de origem, agora com dissolução de toda a diretoria por conta da venda do SAAE, o destino mais provável do engenheiro seria a ocupação de uma secretaria que está sendo criada especialmente para ele.

Reguladores começaram a ser nomeados

A Agência Reguladora dos Serviços de Água e Esgostos criada para “regular e fiscalizar” a empresa que passar a gerir o sistema já foi criada e seus membros estão sendo nomeados pelo governo municipal, que cm certeza terá maioria no controle para não ferir seus próprios princípios de concordância com a empresa.

Comentários

flavio

postado:
04/03/2015 - 08:17
parabéns professora Socorro vc merece ainda mais!

a verdade

postado:
04/03/2015 - 08:16
esses atrasos nos pagamentos de caminhões a Vanusa não faz um video!

Mãe atuante

postado:
03/03/2015 - 13:33
diga mesmo o que o deputado no seu segundo mandato e um uma vez vereador fez por Timon? Eu digo nada, nada,nada, nada nada e nada. pelo menos os Gedeon tem uma historia.sei que não vai postar nunca ; o Elias posta.

Vereador Biu defende a realização da Vaquejada do 89 este ano

02/03/2015 • 15:59



Para não quebrar mais uma das grandes tradições de Timon que vem sendo realizada há mais de 20 anos, mas que este ano está ameaçada de não ocorrer, o vereador Antonio Filho (Biu), disse hoje pela manhã ao blogdoribinha que terá uma conversa com o empresário e produtor Zé de Sá para que ele não deixe de realizar a Vaquejada da localidade 89. “Nós não podemos deixar que as tradições mais importantes de Timon se acabem por conta das decisões do governo municipal”, disse o vereador defendendo a realização da festa.

A Vaquejada do 89 está ameaçada de não ser realizado este ano por conta da decisão da Prefeitura de Timon, que adotou auditoria prévia em todos os eventos da cidade inibindo o trabalho dos promotores de evento. Uma dessas medidas é a cobrança de 5 por cento de Imposto Sobre Serviços (ISS), estabelecidos em cima do contrato de bandas, locação de som e outros equipamentos, na venda de ingressos e outros serviços.

Defensor de eventos desta natureza e um vaqueiro convicto, Biu disse que a Vaquejada do 89 é um dos maiores evento da região, que anualmente reúne milhares de pessoas entre produtores, amantes do esporte e um grande público que participam das competições e de grande momento de lazer com shows das bandas contratadas. Além disso, existe a renda que é gerada durante os dias da vaquejada e a movimentação local com emprego temporários e renda para todos, enfatizou o vereador

Imposto exorbitante

Segundo o vereador Kaká do Frigo Sá, que é filho do empresário Zé de Sá, e defende a não realização da festa este ano, o valor do imposto é escorchante. Ele disse, em entrevista no último sábado, que no ano passado foi cobrado 14 mil reais, o que infelizmente não foi pago pelo empresário.

De acordo com Kaká, para a realização da festa, além do ISS cobrado pela prefeitura, outras taxas são pagas. O corpo de bombeiros, por exemplo, cobra 160 reais, que é um valor justo, disse. Ele considera o imposto cobrado pela prefeitura abusivo. Apesar de ter sido aprovado pela Câmara Municipal, que deixou em aberto para executivo a cobrança de ISS de 1 até 5 por cento, mas que a prefeitura está determinando o maior valor sem qualquer intermediação ou controle.

O vereador Kaká disse também que os donos de festas sofrem uma espécie de auditagem prévia, pois no caso dos ingressos destinados ao público depois de impressos os talonários deverão ser levados até a secretaria de finanças, contados e carimbados, e no final da festa devem retornar à secretaria para a conferência de quantos foram comercializados. Além disso, reclama o vereador, todos os contratos de serviços são auditados pelas Finanças do município. Isso está inviabilizando o evento, finalizou.



O governo, por sua vez, mantém todo esse trabalho, além de que, está impondo a realização da festa deste ano somente após o pagamento da dívida de 14 mil reais que continua em aberto na prefeitura.

Apesar de não concordar com a forma abusiva como a prefeitura está tratando a questão, o vereador Biu é a favor da realização da festa. Ele disse que o empresário deverá encontrar um “meio termo” para realizar a festa tradicional e questionar esses valores até de forma judicial. Biu entende que do jeito que a prefeitura está fazendo fica muito difícil de se realizar eventos de grande, médio o pequeno porte em Timon. “Nós temos outros eventos tradicionais, que se não forem enquadrado da forma que a Secretaria de Finanças exige também sumirão do mapa cultural e festivo da cidade, por isso, defendemos a realização da Vaquejada do 89 este ano”, disse Biu.



Mais um deputado deverá ajudar Timon e Matões

Não obstante a representação do deputado estadual eleito Alexandre Almeida (PTN) e do suplente de deputado Rafael Leitoa (PDT), no exercício do cargo, Timon também ganhará o reforço de outro deputado que teve boa votação na cidade e que tem disposição de ajudar o município na geração de benefícios para sua população.

O blog tem ouvido de interlocutores do deputado Paulo Neto (PSDC), que Timon está entre os municípios que ele tem interesse em ajudar, seja na defesa de projetos junto aos representantes da terra ou em projetos próprios.

O deputado teve uma excelente votação no município. Com o apoio do ex-vereador Jaconias Morais, Paulo Neto obteve 899 votos na cidade, numa incontestável posição de quem ainda possui um cabedal de votos estimável em Timon.



Matões na rota de Paulo Neto

Outro município que o deputado também está de olho é Matões. Paulo Neto obteve 193 votos na cidade que são atribuídos ao apoio de última hora do ex-vereador Hosaías, que apesar de ter dedicação exclusiva à sua vida profissional e empresarial tem na política da cidade um legado invejável e desejado por muitos políticos de fora e da cidade.

Hosaías teve problemas de ordem pessoal durante a campanha, inclusive com o falecimento de uma irmã, mas mesmo assim o povo matoense reconheceu seu trabalho político na cidade dando votação expressiva ao deputado Paulo Neto.

Comentários

Críticos do "Conselhão" participam da farra dos jetons de mais 5 mil

02/03/2015 • 05:41



As práticas imorais e aviltantes do governo Roseana Sarney, antes criticadas pelos oposicionistas de outrora, viraram "regras práticas" pelo governo de então do senhor Flávio Dino.

O pior de tudo isso é que os mesmos que criticavam essas práticas fazem parte delas hoje, no governo, como se delas quisessem se beneficiarem e por isso, as criticavam no passado.

No caso dos jetons pagos aos representantes do Conselho de Gestão Estratégica das Políticas Públicas do Governo (Congep), que paga a cada de seus membros R$ 5.850,00 por reunião, parecia absurda para uma oposição que tanto condenou os que participavam dessa aberração implantada por lei estadual.

Formavam uma linha de crítica desses jetons os deputados estaduais Marcelo Tavares, Bira do Pindaré e Rubens Junior, hoje govenistas, Marcelo Tavares e Bira do Pindaré, estão compondo o Congep como secretários. Dos críticos de outrora, somente o deputado federal Rubens Junior não faz parte do conselho, mas até o momento não fez nenhuma crítica sobre o assunto.

Entenda todo o caso.

Praticamente um ano depois de condenar a reativação, pela ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), do Conselho de Gestão Estratégica das Políticas Públicas do Governo (Congep), membros do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) hoje fazem parte do chamado "Conselhão" e agora apoiam a existência do colegiado, que paga a seus integrantes R$ 5.850,00 de jeton por reunião.

Em 2015, já ocorreram dois encontros, o mais recente deles na quinta-feira da semana passada, 26, com a presença do governador e do vice, Carlos Brandão (PSDB), e da maioria do secretariado.

As regras que regem as reuniões e o pagamento dos jetons são praticamente as mesmas da gestão passada, com pequenas alterações promovidas pelo novo governador, por Medida Provisória editada no dia 23 de janeiro.

"Em termos de quantidade é exatamente o mesmo número que ela [ex-governadora Roseana Sarney] deixou, sem aquele trem da alegria. No final, depois ela reduziu. Ela acabou, depois retornou, com uma estrutura bem enxuta. Ficou essa, nós não modificamos a quantidade de pessoas, e nem o jeton foi modificado", garantiu o secretário chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB).

Além do socialista, outros dois dos mais árduos críticos da existência do Conselho estão entre seus membros: o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), atual secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; e Márcio Jerry, secretário de Estado da Articulação Política e Assuntos Federativos.

Junto com o deputado federal Rubens Júnior (PCdoB), o trio comandou a linha de frente de ataques à ex-governadora pela recriação do Congep. O comunista não integra o órgão.

Cruzada - A cruzada dos então oposicionistas contra ao "Conselhão" começou em 2013. Oficialmente criado em 2004, no governo José Reinaldo (PSB) - sob a denominação de Conselho de Gestão Estratégica das Macropolíticas de Governo - o órgão colegiado virou Congep em 2007, no primeiro ano da gestão Jackson Lago.

Em 2013, a oposição reclamou do seu tamanho - contava, então, com mais de 200 membros – e chegou a solicitar à Seccional Maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MA) o ajuizamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) para acabar com ele.

"Queremos propor inclusive a extinção do Conselhão", defendeu Bira do Pindaré, em julho daquele ano, na tribuna da Assembleia Legislativa.

Rubens Júnior classificou de "imoralidade" a existência do colegiado. "Nós, deputados de oposição, demos entrada numa representação para a OAB ajuizar uma Adin contra a imoralidade do 'Conselhão'", defendeu Rubens Júnior (PC do B) naquela ocasião.

O valor do jeton e o fato de haver apenas uma reunião por mês para recebimento de R$ 5.850,00 foi alvo de dura reprimenda por parte de Marcelo Tavares. Para ele, "a voz das ruas" não aceitava que se pagasse valor tão alto pela participação em apenas uma reunião.

"A voz das ruas não aceita esse tipo de coisa, mas, mais do que isso, trabalhar uma vez por mês para ganhar R$ 6 mil, só no Maranhão", reclamou o, agora, novo membro do Congep.

Bira do Pindaré também condenou o alto valor do jeton. "Se não acaba o 'Conselhão', tem que acabar o jeton. Pode criar o conselho que quiser, mas não precisa ter jeton de R$ 5.850 por mês para uma única reunião, é uma imoralidade", declarou.

Naquele ano o Conselho foi então extinto, voltando a ser criado em 2014, mais enxuto - com estrutura menor, até, do que a mantida atualmente.

Discurso mudou após posse

Alcançado pela reportagem de O Estado para comentar o assunto, Marcelo Tavares nega que tenha defendido o fim do Conselho. Segundo ele, a ex-oposição posicionou-se apenas contra o inchaço do órgão. "Nós nunca dissemos que queríamos a extinção total do conselho, até porque ele foi criado, salvo engano, no governo José Reinaldo. Então, nós nunca pedimos a extinção completa do conselho", garantiu.

O discurso é parecido com o do secretário Márcio Jerry. "Veja bem, nunca fomos contra o 'Conselhão', o que criticávamos era o uso dessa ferramenta para se fazer política eleitoral", ressaltou.

Rubens Júnior admite que a oposição, à época, defendeu o fim do conselho, mas não apenas isso. "Defendemos vários níveis de intervenção: primeiro o fim do superinchaço; depois a eficiência do conselho, que não servia para nada; se isso não fosse possível, o fim do pagamento de jeton; e, por fim, em último caso, a sua extinção", relatou.

Mais gente - Duas alterações feitas por Medida Provisória pelo governador Flávio Dino (PCdoB) à lei que instituiu o Congep provocaram novo inchaço da estrutura. Até o fim do ano passado, apenas secretários de Estado poderiam integrar o Conselho, agora, membro de "cargos equivalentes" também podem. Além disso, o comunista incluiu no texto a permissão para "profissionais de instituição pública ou privada". (jornal O Estado).

Comentários

  1. «
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. ...
  7. »
ENVIE SEU COMENTÁRIO
COMPARTILHE COM AMIGOS

O Portal AZ é apenas o meio contratado para divulgação deste material.
Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes neste espaço é de responsabilidade civil e penal exclusiva do blogueiro.
O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial da empresa.

portal az - Informação de Verdade
Todos os direitos reservados © 2000 - 2009