Homepage
RSS
Twitter

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Busca

Governo repassará mais de 28 mi para Coopmar, números não batem, diz Thales

21/03/2015 • 10:01



Os números do contrato assinado entre o prefeito Luciano Leitoa e os representantes da Cooperativa Maranhense de Trabalho (COOPMAR), que desde janeiro deste ano administra parte das Folhas de Pagamentos das Secretarias de Educação, Administração, Semdes, Limpeza e Saúde, não estão batendo. Existe uma disparidade entre o recurso que é repassado e o que o servidor recebe.

O governo repasse mensalmente 2 milhões 411 mil 480 reais e 31 centavos, em um ano, período de vigência do contrato, a prefeitura disponibilizará à cooperativa quase 29 milhões em repasses.

De acordo com o vereador Thales Waquim, líder da oposição na Câmara, os números “podem até estarem corretos e a contabilidade bater no final”, mas em vários aspectos o vereador questiona a responsabilidade desse contrato.

Thales enumera, por exemplo, o fato do contrato de um vigia ser de R$ 1.506,32 centavos, isso de acordo com o item de Registro de Preços na contratação da empresa no Pregão Presencial 029/2014 e o servidor perceber a metade desse salário. Thales acentuou que sabe da necessidade da cooperativa arcar com os custos desse contrato, mas fica claro que o prefeito paga um valor muito alto para empresa. “Por isso é que queremos saber de quanto é valor da taxa de administração e em que percentuais foi negociado esse contrato com a Coopmar”, disse Thales.

Thales disse que os vereadores de oposição estão dispostos a ir mais além, caso a prefeitura não envie à Câmara os números desse contrato.

“Nós queremos saber quantos servidores estão nas folhas de pagamentos, quanto cada um percebe e qual a garantia de que seus benefícios como Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (Fgts), Pis, Pasep foram assegurados pelo contrato”, disse o Thales Waquim.

Atraso de pagamentos e não pagamento de direitos

De acordo com informações colhidas pelo blogdoribinha junto aos “servidores cooperados” muitos admitem haver perda salarial na transferência da prefeitura para a cooperativa. Eles alegam que, quem antes recebia um pouco mais de um salário mínimo recebe agora o salário “seco”, sem nada de acréscimo. Outros, como motoristas dizem que chegaram a receber até 2 mil reais pela prefeitura, na cooperativa só recebem R$ 1.100.



Servidores de alguns órgãos alegam que ainda não receberam o mês de janeiro de 2015, a cooperativa se defende informando que houve atraso por parte da documentação cadastral dos servidores e que a diferença salarial será paga quando for feita a regularização documental.

De acordo com informações repassadas por um dos diretores de nome “Rodrigo”, que responde pela Cooperativa, que recebeu os vereadores de oposição na sede da empresa, a prefeitura tem compromisso de repassar o recurso para pagamento até o 6º dia útil do mês para que o repasse seja feito na conta dos servidores, mas isso não vem ocorrendo.



Garis reclamam dos descontos e atrasos

Uma das categorias mais afetadas com adesão à cooperativa é a dos garis. Conversamos com alguns deles que fazem o trabalho de limpeza e varrição das vias públicas. Com medo de se identificarem para não serem colocados pra fora, eles admitem erros grosseiros nos seus salários, além dos atrasos. Uma das mulheres chegou a afirmar que no mês passado recebeu somente 300 reais de salário, reclamou e disse que esse mês seria feito o repasse com a compensação dos valores do mês passado, mas até agora não foi feita a correção.





Comentários

PT expulsa prefeito preso pela Polícia Federal recebendo propina

20/03/2015 • 18:53



A direção estadual do Partido dos Trabalhadores no Rio de Janeiro decidiu, na noite desta quarta-feira (18), expulsar sumariamente da legenda o prefeito de São Sebastião do Alto (RJ), Mauro Henrique Chagas.

Chagas foi flagrado e preso pela Polícia Federal, na última quarta-feira, ao receber propina exigida por ele a empresários para aprovação de obras de saneamento e saúde no município. A decisão do diretório será referendada em reunião no próximo domingo (22).

Leia a nota na íntegra:

“A Direção do PT estadual do Rio decidiu, na noite de hoje, expulsar sumariamente o Prefeito de São Sebastião do Alto, Mauro Henrique Chagas, preso hoje pela polícia federal acusado de cobrar propina de empresários.

Apesar de filiado ao PT, ele era uma figura de pouca expressão e nenhum envolvimento na vida partidária. No domingo, a reunião do Diretório Estadual irá referendar esta medida.


Washington Quaquá
Presidente do PT Estadual”

Da Redação da Agência PT de Notícias



Aécio sugere cassação dos partidos envolvidos com corrupção

Por Luis Flávio Gomes

A providência sugerida (por meio de projeto de lei, como foi dito)é muito adequada, porque a situação específica de o partido receber dinheiro de corrupção não está prevista no art. 28 da Lei 9.096/95 (lei dos partidos políticos). De qualquer modo, considerando o argumento de alguns deputados de que receberam doação partidária, não dos corruptos, faz todo sentido investigar todos os partidos políticos que tenham se beneficiado de dinheiro ilícito. Há pertinência em se investigar além do PP, PMDB e PT (que comandavam as principais diretorias da Petrobras, distribuindo o dinheiro da corrupção cleptocrata promovida pelas classes dominantes e/ou reinantes), dentre outros, também o PSDB (Sérgio Guerra teria recebido, como presidente do PSDB, R$ 10 milhões para a campanha de 2010) e o PSB (Eduardo Campos teria recebido R$ 20 milhões para sua campanha de 2010). Outros investigados devem ser Dilma (cuja campanha de 2010 teria sido irrigada pela corrupção do petrolão) e o próprio Aécio Neves (que estaria envolvido com a corrupção de Furnas).

Como mostramos em artigo anterior, não há nenhum impedimento legal ou constitucional para se investigar a presidente (a) da República (citadas 11 vezes nas delações de Costa e Youssef), mesmo estando ela no exercício do cargo. Investigar não é processar. De outro lado, se queremos o Brasil passado a limpo, não podemos fazer vistas grossas ao depoimento do doleiro Alberto Youssef, no âmbito da Operação Lava Jato, que diz ter ouvido do ex-deputado José Janene e do presidente da empresa Bauruense, Airton Daré, que Aécio estaria envolvido em desvios na lista de Furnas. Segundo Youssef, o tucano dividiria uma diretoria de Furnas com o PP e sua irmã faria uma suposta arrecadação de recursos junto à empresa citada (veja Tereza Cruvinel, 247). Para o próprio senador é imprescindível que tudo isso seja passado a limpo.

Por que investigar todos os partidos citados no escândalo da Petrobras? Porque os indecorosos e nababescos financiamentos das campanhas eleitorais seriam total ou parcialmente criminosos (lavagem de dinheiro). Vamos ouvir o Delator-Geral da República cleptocrata (ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa): em vídeo gravado pela PGR e divulgado pela Folha 18/3/15, ele disse: “O sistema de doações eleitorais registradas na Justiça Eleitoral no Brasil é uma falsidade. ‘Esse negócio de doação oficial... A maior balela que tem nesse Brasil é a doação oficial, né. Agora há pouco saiu na imprensa várias vezes que o dono da UTC fez uma doação oficial de não sei quantos milhões para o PT. Pô, com dinheiro daqui [da Petrobras]. Não tem doação oficial, isso é balela’, disse Costa.

Ainda segundo o ex-diretor, as doações na realidade são "empréstimos". "Eu já falei isso lá para os procuradores [do Paraná] e vou falar aqui para vocês. Esse negócio de contribuição oficial não existe, tá? Isso não existe. Nenhuma empresa vai doar [R$] 2 milhões, 3, 4, 5 milhões porque gosta de Fulano de Tal. Na realidade todas as doações, seja oficial ou não oficial, não são doações, são empréstimos. A empresa está emprestando pro cara e depois vai cobrar dele", disse Costa. “A ideia de que existe contribuição para campanhas não passa de uma ‘grande falácia’”.

Nas repúblicas cleptocratas (onde todos os poros políticos são irrigados pela roubalheira), “A política é movida a dinheiro e poder. Dinheiro compra poder, e poder é uma ferramenta poderosa para se obter dinheiro. É disso que se trata nas eleições: o poder arrecada o dinheiro que vai alçar os candidatos ao poder; o homem público deve demonstrar gratidão para com os parceiros que contribuíram para uma trajetória bem-sucedida; direcionamos o resultado das licitações; para compensar aquelas empresas que nos ajudam, que estão conosco desde a época da campanha; por trás de emendas, convênios e licitações, existe uma relação permanente de vaivém, um vínculo de troca com as empresas. Especialmente as empreiteiras” (Márlon Reis, O nobre deputado: 21 e 55).

Desde que se aprovou o financiamento privado empresarial das campanhas eleitorais (1997), uma vasta quantidade de dinheiro obtido ilicitamente começou a aparecer como “doação” eleitoral declarada à Justiça (tudo oficializado). Isso foi dito com todas as letras por Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, da empresa Toyo Setal e sub-delator-geral da república cleptocrata. Ele contou que sua empresa doou perto de 4 milhões (provenientes de corrupção e licitações fraudadas) para o caixa do Partido dos Trabalhadores, após um acerto com João Vaccari Neto. O balancete entregue pelo PT à Justiça Eleitoral em 2010, segundo a Veja, comprova essas “doações”:

Balancete do Partido dos Trabalhadores entregue à Justiça Eleitoral em 2010, com doações das empresas apontadas pelo executivo Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, da construtora Toya Setal, como partes da engrenagem que procurava ocultar a origem ilegal do dinheiro que entrava nos cofres do PT: o documento oficial simboliza a feitiçaria por meio da qual o caixa dois se tornou desnecessário, por ter-se transformado em caixa um (Divulgação/TSE/VEJA).

Luiz Flávio Gomes - Professor - Jurista e professor. Fundador da Rede de Ensino LFG. Diretor-presidente do Instituto Avante Brasil. Foi Promotor de Justiça (1980 a 1983), Juiz de Direito (1983 a 1998) e Advogado (1999 a 2001). [ assessoria de comunicação e imprensa +55 11 991697674 [agenda de palestras e entrevistas] ]

Comentários

PT fecha acordo com os Leitoas e pode ter secretaria no governo de Luciano

19/03/2015 • 18:40


Não falta mais nada para o Partido dos Trabalhadores (PT), ir de malas e cuias para o governo Luciano Leitoa. Na verdade, como todos sabem em Timon, o partido jamais irá completo apoiar qualquer um dos grupos da política da cidade, pois parte do PT tem laços estreitos com o Grupo Waquim, outra parte está no governo desde seu início, outra vive em namoro constante com o deputado Alexandre Almeida e uma quarta parte não atende a nenhum desses chamados grupos políticos.

Dessa vez, segundo informações colhidas pelo blogdoribinha, existe um entendimento da direção municipal do partido em participar do governo de Luciano Leitoa. Toda articulação, segundo as informações, teria sido articulada entre o ex-prefeito Chico Leitoa e o atual presidente do diretório do PT em Timon Francisco Falcão.

As informações dão conta de que na última reunião do partido havia na pauta uma deliberação sobre a participação do PT no governo do PSB em Timon. Esse entendimento não foi oficializado durante essa reunião, que aconteceu no último sábado, por conta da falta de quórum exigido na assembleia do partido para deliberar sobre o assunto.

Entre os acordos pré-afirmados entre o governo municipal que na oportunidade foi representado pelo pai do prefeito Luciano Leitoa e o presidente do diretório o PT, o partido participa do governo com a Secretaria de Esportes, Juventude e Lazer, que seria entregue ao candidato a deputado federal do partido Rafael Almeida.

Articulação de dentro pra fora

Dentro do governo quem faz a maior carga para que esse acordo se concretize é o secretário Tião Carlos, que deixou o PT e filiou-se ao PSB de Luciano Leitoa. O secretário mantém, apesar de ter deixado o PT, laços estreitos com o partido. Ele foi o maior incentivador da candidatura de Rafael Almeida para o diretório municipal, que perdeu a eleição para Falcão.

Incoerência partidária

Consultei alguns dos petistas sobre a ida do partido oficializada através da direção municipal em Timon. Um dos petistas foi taxativo em afirmar que não concorda e entende que a direção nacional mais uma vez vai intervir em Timon.

Para esse petista “o PT local não pode ser aliado de um partido que faz críticas diretas a presidenta Dilma Rousseff, tanto em nível estadual, federal e local e é o maior incentivador dos movimentos contra a presidenta no país”, disse. O petista adiantou que o próprio prefeito Luciano Leitoa votou em Marina e Aécio Neves e faz críticas à política da presidenta apesar de receber recursos do governo federal para implementação de obras em Timon.

PT com Flávio Dino

O Partido de Trabalhadores em nível estadual, que até bem pouco tempo era parceiro do PMDB em chapa formada com Roseana Sarney, e disputou a eleição contra Flávio Dino apresentando a primeira suplência de senador, recebeu carta branca para fazer parte do governo Flávio Dino (PC do B), mas essa é uma orientação nacional, nada de tem deliberado com o PSB em qualquer nível de entendimento futuro, disse o petista.

Comentários

Alexandre culpa Luciano por cancelamento de construção de escola em Timon

19/03/2015 • 17:48



O deputado Alexandre Almeida (PTN) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, durante a sessão dessa quinta-feira (19), para fazer um apelo para que o Governo do Estado não faça o distrato do contrato que foi celebrado em 2014, que prevê a construção de uma escola de Ensino Médio no conjunto Novo Tempo, em Timon.

“Eu solicitei, em 2013, que o governo incluísse na proposta de consulta ao BNDES a construção dessa escola, foi aprovado, a licitação foi feita e o prefeito Luciano Leitoa fez um ofício se comprometendo a doar o terreno para a construção”, explicou o deputado. “Passei todo o ano de 2014 insistindo para que a administração municipal cumprisse esse compromisso, mas, infelizmente, o prefeito fez ouvido de mercador, e agora recebo a notícia que a Secretaria de Estado da Educação resolveu fazer o destrato do contrato”, ressaltou Almeida.

Ainda segundo o parlamentar, o conjunto Novo Tempo tem duas mil casas onde residem cerca de oito mil pessoas, dentre elas centenas de jovens que precisam de uma escola de Ensino Médio. “Sabemos que o conjunto Novo Tempo é uma área de pessoas carentes, onde muitos pais não têm condições financeiras de arcar com os custos de deslocamento para que seus filhos possam estudar em outro local, por isso entendemos que a construção de uma escola é fundamental para garantir o direito à educação a esses jovens”, destacou Alexandre Almeida.

O deputado frisou que se o governo resolver, de fato, não construir a escola, milhares de jovens que sonham com um futuro melhor poderão ter esse objetivo prejudicado. “Eu reafirmo o que venho dizendo sempre nesta Casa, eu torço para que o atual governo acerte, pois a população será a maior beneficiada, e por isso eu encerro a minha fala apelando ao governador Flávio Dino, bem como aos líderes do governo, para que essa decisão seja revista e as famílias sofridas do conjunto Novo Tempo não sejam prejudicadas”, concluiu Alexandre Almeida. (Da assessoria do deputado).

Comentários

Asfalto ajuda o prefeito, mas saúde, educação, limpeza e pessoal atrapalham

19/03/2015 • 09:01



Luciano tem se esforçado para melhorar o perfil de péssimo administrador

O prefeito Luciano Leitoa e sua cúpula encarregada em mudar seu perfil de péssimo administrador junto aos eleitores não têm dúvidas de que a vinda do asfalto para cidade de Timon, - mesmo que muito pouco com relação às outras cidades maranhenses -, vai melhorar sua popularidade abalada na última pesquisa realizada pela Timon FM que aponta uma rejeição de 70 por cento do alcaide.

O que vem preocupando muito o prefeito e sua cúpula são os gastos excessivos e exorbitantes com publicidade que não têm gerado o resultado positivo esperado. A plástica morena e bonita da propaganda visual na mídia contrasta com a realidade feia, nua e crua e desdentada da cidade.

As reclamações mais preocupantes são as de falta de água constante nos bairros, escolas em pleno período letivo sem professores, sem aulas e muito desânimo por parte dos pais e alunos, que alegam de nada adiantar a estrutura de reforma, ampliação, climatização e merenda escolar se não tem ensino, se falta professores e material didático.



Filas na Policlínica um agravante para a péssima gestão de Luciano

Outro aspecto que não tem ajudado a mudar o perfil de péssimo administrador de Luciano Leitoa são as falhas gritantes na saúde. Um exemplo disso são os postos de saúde, UBSs - recentemente inauguradas -, a Policlínica e outros postos de atendimento médico que não estão atendendo à população a contento. Isso está refletindo na superlotação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que até o ano passado já vinha atendendo fora de sua capacidade, mas que a partir de 2015 o atendimento está estrangulado e as pessoas que procuram a unidade afirmam que não conseguem atendimento na rede municipal.

Outro aspecto que não tem ajuda a mudar o perfil de péssimo administrador do prefeito é a limpeza. Caminhões em atraso, garis insatisfeitos com os descontos em seus salários, o não pagamento de benefícios e outras reclamações tem tido um reflexo direto nas ruas, que começam a ficar amontadas de lixo de capina e ou de outros serviços públicos não executados.



Lixo amontoado nas ruas provacado pela própria Secretaria de Limpeza

O blogdoribinha sabe de notícia do abandono de serviço de vários proprietários de caminhões contratados para a limpeza. Eles alegam a falta de cumprimento dos contratos de pagamentos é o motivo da saída. Alguns deles se queixam que estão em atraso em mais de cinco meses, tempo suficiente para “quebrar” qualquer um, pois se eles não recebem mensalmente não tem como manter seus veículos com combustíveis e peças de reposição.

O prefeito e sua cúpula sabe que o ano de 2015 é essencial para o seu perfil administrador. Os recursos do governo Flávio Dino começaram a chegar como fora prometido em campanha, mas é preciso que eles sejam aplicados da forma correta, pois senão, do contrário, não vai adiantar tanto dinheiro sem a consolidação do perfil que deseja o governo e que traduzirá na questão política para que Luciano Leitoa volte a se habilitar como candidato próprio à sua reeleição em 2016.



Quanto aos problemas que ainda perduram em várias áreas da gestão pública municipal, de nada adiantará a mídia lógica e bem feita pelos marqueteiros, se na cidade, nas ruas, nas escolas, nos postos de saúde o retrato vivo e real que se pinta ainda é sombrio e desfocado como se tivessem sido "tirados" por máquina fotográfica lambe-lambe no antigo “Foto Taboca”, na Praça Rio Branco, em Teresina.

Comentários

  1. «
  2. ... 
  3. 7
  4. 8
  5. 9
  6. 10
  7. 11
  8. 12
  9. 13
  10. ...
  11. »
ENVIE SEU COMENTÁRIO
COMPARTILHE COM AMIGOS

O Portal AZ é apenas o meio contratado para divulgação deste material.
Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes neste espaço é de responsabilidade civil e penal exclusiva do blogueiro.
O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial da empresa.

portal az - Informação de Verdade
Todos os direitos reservados © 2000 - 2009